domingo, 27 de julho de 2014

(Livros:) Os homens que não amavam as mulheres


Livro: Os homens que não amavam as mulheres - Stieg Larsson

Os homens que não amavam as mulheres
Trilogia Millennium
Autor: Stieg Larsson
Reduzido: 2880004
Altura: 22,5 cm.
Largura: 15,5 cm.
Profundidade: 3 cm.
Acabamento : Brochura
Idioma : Português
País de Origem : Brasil
Número de Paginas : 522
Gênero: Romance Policial / Drama
Tradutor : Dorothée de Bruchard


"Mikael Blomkvist tinha a mesma tendência irritante de todos os outros de fuçar sua vida privada e de fazer perguntas que ela não queria responder. Só que ele não reagia como a maioria dos homens que ela conheceu."

Extraordinário!!! Ainda assim, é uma palavra extremamente pequena para qualificar este livro. Confesso que ao pedir uma luz no fim do túnel, por ser um livro de gênero literário que ainda não tinha me submetido a ler, mas por ser o tema opcional do desafio,  foi uma indicação que amei mesmo!
E aquele dito popular foi mais do que respeitado. "Não julgue o livro pela capa", então... antes de me entregar a conhecer a leitura, fiz pesquisa sobre o autor e li a sinopse (são coisas que precisam serem feitas antes de comprar algum livro, para não ter surpresas desagradáveis no meio do caminho.

Minha gente! O preço do livro é muito pequeno mediante a riqueza de fatos e argumentos tão envolventes do autor Stieg Larsson. Sem dúvida está entre os meus autores que prestigio, e seu livro na minha estantes de favoritos! Ainda está com dúvida que o livro é maravilhoso?!?! 
Então... só me resta dizer... Vamos a resenha!

Para o leitor entender os fatos que ocorrerão durante a leitura, Stieg Larsson divide o livro em 6 partes, sendo elas:

Prólogo: sexta-feira 1° de novembro

I. Incitação (20 de dezembro a 3 de janeiro)

II. Análise das consequências (3 de janeiro a 17 de março)

III. Fusões (16 de maio a 14 de julho

IV. Takeover hostil (11 de julho a 30 de dezembro)

Epílogo - acerto de contas: quinta-feira de novembro a terça-feira 30 de dezembro.

É sempre interessante ressaltar que, deve ser lido essas partes para ficar esclarecido o trama do começo ao fim.

O livro inicia com Mikael Blomkvist e os relatos de seu processo por difamação contra o financista Hans-Erik Wennertröm. O autor teve muito cuidado para nos revelar como era a vida acadêmica, profissional e amorosa de Mikael.

Mikael Blomkvist é um dos jornalistas mais renomados da Suécia, pela editora Millennium. Formado em jornalismo econômico, Mikael sempre se envolvia em assuntos voltados a área criminal. Devido a esse seu envolvimento, muitos jornais o apelidaram de Super Blomkvist, por não ter medo e por desvendar mistérios que até então não tinham sido esclarecidos. Além de ser jornalista, também era redator, editor-chefe, e um dos donos da editora a qual exercera o seu trabalho juntamente com Érika Berger, a Millennium.

Érika Berger era casada com Christer Malm, um dos acionista da Millenium. Mas, em suas horas vagas, era amante de Mikael, Christer sabia desse envolvimento e lidava muito bem com essa situação. Mikael foi casado, porém não soube lidar com o sentimento que sentia por Érika, gerando então o divórcio. Érika e Mikael sabiam lidar com seus sentimentos, e chamavam-se de amantes ocasionais, respeitando o futuro envolvimento de ambos com outras pessoas.

Embora que trabalhasse juntos e um sabia dos segredos do outro, havia muito respeito entre os dois, mesmo que se opunham em muitos aspectos e decisões a qual o outro tomara.

Diante desse cenário conturbado de processo, Mikael é convidado pelo Henrik Vanger a trabalhar em um caso, o desaparecimento de sua filha (sobrinha) adotiva Harriet Vanger, no ano de 1966. Cujo caso, após 40 anos, não tinha sido desvendado. Porém, Herink não confiava em seus familiares. Por esse motivo, o contrata com a missão de escrever uma biografia da Família Vanger, para que as pessoas não desconfiassem a verdadeira missão de Mikael. Para surpresa do jornalista, Henrik tinha levantado dados sobre a sua vida de forma ampla. Dados que ele não tinha se quer mencionada a alguma pessoa, havia relatório sobre isto.

No primeiro instante, Mikael relutou a fazer o contrato com Henrik, pois achava que era uma perda de tempo este trabalho, mas acabou se submetendo. As exigências de Henrik para o trabalho de Mikael, não eram rígidas, porém o tempo para que tudo isso fosse feito era de apenas 1 ano.

Conforme Mikael vai se envolvendo na busca incensante sobre o desaparecimento de Harriet, descobre casos que envolveram mulheres nos anos 1950 a 1966, e outros casos até o presente momento. Percebendo que estava lidando com um assassino serial, Mikael se vê limitado, por estar sozinho e precisando com urgência a desvendar os códigos que encontrara. Neste momento, conversa com Dirch Frode, o advogado e amigo de Henrik, comenta o que descobriu até o presente momento, e precisava de uma pessoa de extra confiança, ele então fala de Lisbeth Salander.

Lisbeth Salander é uma garota de 25 anos, cuja aparência de corpo cheio de tatuagens e percing. Porém de uma extrema inteligência! Não possui algum tipo de formação, na verdade, não gostou muito de seus professores e (aqui vai a minha opinião) ela nem se esforçava para obter destaque na escola. Digamos que Lisbeth era uma garota anti-social. Não gostava muito de se aproximar das pessoas e muito menos que elas soubessem sobre o que pensava, fazia e outros.
Extremamente reservada, Lisbeth gostava de investigar a vida alheia, uma hacker de primeira linha, que contribui e muito nas pesquisas para desvendar o caso das Mulheres e dos homens que as mataram. Há muitos segredos ainda pelo ar, e principalmente sobre nossa personagem Lisbeth.
E, entre nós, ela acabou sendo a minha personagem favorita, pela sua inteligência, força, determinação e coragem.
Juntos, Mikael e Lisbeth se tornam uma dupla implacável, para descobrir o que de fato tem acontecido na cidade de Estocolmo, Suécia. E por consequência, procuram desvendar sobre o caso do processo contra o financista Hans-Erik Wennertröm.


"A cadeia de incidentes não começava na ilha, mas na cidade de Hedestad, várias horas antes naquele dia. Harriet Vanger tinha visto alguma coisa ou alguém que lhe causava medo e que a fizera voltar para casa e procurar de imediato Henrik Vanger, que infelizmente não teve tempo de lhe dar atenção."

A leitura deste livro é muito viciante, embora que demorei um pouco para lê-lo (por receio), mas quando dei por mim, não queria largar o livro por nada. Só largava quando algo ou alguém me chamava para fazer algo, e mesmo assim, lutava para continuar lendo.
Estou super ansiosa para ler os outros volumes! Pelo pouco que vi, o segundo falará mais de Lisbeth! Quero conhecer mais o mundo dela, esse mundo solitário a qual ela mesma criou
Espero que tenha gostado!

Sinopse
Vem da Suécia um dos maiores êxitos no gênero de mistério dos últimos anos: a trilogia Millennium - da qual este romance, "Os Homens que não Amavam as Mulheres", é o primeiro volume. Seu autor, Stieg Larsson, jornalista e ativista político muito respeitado na Suécia, morreu subitamente em 2004, aos cinqüenta anos, vítima de enfarte, e não pôde desfrutar do sucesso estrondoso de sua obra. Seus livros não só alcançaram o topo das vendas nos países em que foram lançados (além da própria Suécia -onde uma em cada quatro pessoas leu pelo menos um exemplar da série -, a Alemanha, a Noruega, a Itália, a Dinamarca, a França, a Espanha e a Inglaterra), como receberam críticas entusiasmadas.
Um dos segredos de tanto sucesso é a forma original com que Larsson engendra a trama, conduzindo-a por variados aspectos da vida contemporânea: do universo muitas vezes corrupto do mercado financeiro à invasão de privacidade, da violência sexual contra as mulheres aos movimentos neofascistas e ao abuso de poder de uma maneira geral. Outro é a criação de personagens extremamente bem construídos e originais, como a jovem e genial hacker Lisbeth Salander, magérrima, com o corpo repleto de piercings e tatuagens e comportamento que beira a delinqüência. O terceiro é a maestria em conduzir a narrativa, repleta de suspense da primeira à última página.
"Os Homens que não Amavam as Mulheres" é um enigma a portas fechadas - passa-se na circunvizinhança de uma ilha. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o velho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada - o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. 
Quase quarenta anos depois o industrial contrata o jornalista Mikael Blomkvist para conduzir uma investigação particular. Mikael, que acabara de ser condenado por difamação contra o financista Wennerström, preocupa-se com a crise de credibilidade que atinge sua revista, a Millennium. Henrik lhe oferece proteção para a Millennium e provas contra Wennerström, se o jornalista consentir em investigar o assassinato de Harriet. Mas as inquirições de Mikael não são bem-vindas pela família Vanger. Muitos querem vê-lo pelas costas. Ou mesmo morto. Com o auxílio de Lisbeth Salander, que conta com uma mente infatigável para a busca de dados - de preferência, os mais sórdidos -, ele logo percebe que a trilha de segredos e perversidades do clã industrial recua até muito antes do desaparecimento ou morte de Harriet. E segue até muito depois... até um momento presente, desconfortavelmente presente.

Leia mais:

Sobre o autor: Stieg Larsson


Espero que você tenha gostado e sentido vontade de conhecer essa maravilhosa trilogia!
Te espero na próxima resenha!
Estou ansiosa para isso!
Beijos
Ariana Silva

4 comentários:

  1. Oi Ariana!
    Fico muito feliz que você tenha gostado desse livro, ele é um dos meus preferidos com toda certeza e adoro quando as outras pessoas gostam dele também. A Lisbeth também é minha personagem preferida e ela vai te surpreender muito nos próximos dois livros, te garanto, leia logo! kkk beijão

    ResponderExcluir
  2. Oi Ari,
    Ah, esse livro tem dado o que falar no último século. kkk
    Todo mundo diz que é muito bom e que é até melhor que os livros do Dan Brown. Eu sou fã de Dan Brown, então se alguém o superar, é porque é bom mesmo.
    Ainda não li, mas fiquei com vontade de assistir ao filme. Espero conseguir um tempinho em breve ..

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oiee Ari.
    Então esse livro é mesmo perfeito,e imagina que eu nem conhecia.Julgando pela capa eu nunca sentiria vontade de o ler por isso foi ótimo ter visto sua resenha.
    Vou investir nessa trilogia,gosto bastante de investigações e esse mistério,acho que Lisbeth vai ser minha personagem preferida também.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Como já citei, já está nos meus desejados faz tempo.
    Acho essa trilogia bem original e envolvente. Um gênero que curto bastante e este parece ser um dos melhores. Bom ver tantos personagens bem construídos. Gostei.

    ResponderExcluir